sábado, julho 20, 2013

Reciclando textos (1)


“O homem que não é capaz de
enfrentar o seu passado, não tem passado;
ou melhor, nunca sai dele,
vive eternamente dentro dele.”
Schelling



Barcelona (2005) - Andando pelas ruelas da Cidade Velha, percebo que o passado vive no presente. A atmosfera deste espaço real me leva a pensar em uma arqueologia de mim mesma (quantas cidades soterradas, quantas camadas por escavar?) Desvendar o passado para encontrar a liberdade de seguir adiante e dizer "Meu tempo é hoje", como cantou Paulinho da Viola.


2 comentários:

Barbara disse...

Oi, oi, querida Marlova,

Estou esperando o próximo conto!!!

E sobre se sentir inteiramente nômade: acho que é um dos melhores sentimentos do mundo! Parabéns pela criação do blog. Aguardo mais posted files.
Beijos e tudo de bom, Barbara

Gustavo López disse...

Buen cuento.
Encuentro interesante tu minha arqueologia y quiero dejar una marca de mi paso, acá, en esta entrada, la 547 de 713.
Te explico.
Me puse a escarbar la lista de blogs que tienen a Pedro Paramo como libro favorito. Voy abriendo algunas puertas de este largo pasillo de 713 blogs
Seguramente cuando yo llegue al último serán ya más de 713...
Ahora veo que más abajo vos dedicaste una entrada a Borges. Prometo volver, si es que acaso se puede volver de un viaje al fondo de la lista de Pedro Paramo.